Clipping Jur

Clipping Jur


A deputada Luiza Erundina (PT-SP) afirmou a necessidade de se instalar imediatamente uma CPI na Câmara Municipal, para apurar as denúncias da ex-primeira dama de São Paulo, Nicéia Pitta. Ela defendeu o afastamento do prefeito e do presidente do Legislativo, Arnaldo Mellão, acusado de negociata na compra de votos para evitar o impeachment de Celso Pitta. "Nossa indignação tem que ir além de uma reação de revolta e se transformar em uma ação concreta, em uma mobilização da sociedade civil, em iniciativas capazes de gerar condições políticas para que o povo de São Paulo se livre, de uma vez por todas, não só do senhor Celso Pitta, mas também do senhor Paulo Maluf", enfatizou a parlamentar, ao divulgar nota de seu partido.

Para Erundina, não adianta tentar desqualificar os depoimentos de Nicéia Pitta, mas sim partir para uma apuração profunda das denúncias para que se vire de uma vez por todas esta página repleta de corrupção da história político-administrativa não só de São Paulo como do Brasil. Ela reclamou do mau funcionamento da Comissão de Fiscalização e Controle, que, em sua opinião, não tem demonstrado eficiência e eficácia no controle dos recursos públicas da União que são repassados aos municípios.

A deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), por sua vez, criticou a reação do presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães, que, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, dirigiu ofensas morais a Nicéia Pitta. "Acho que o presidente do Congresso Nacional deveria manter a compostura que o cargo requer e respeitar, em primeiro lugar, a pessoa humana", enfatizou a parlamentar.

Aos que disseram que Nicéia Pitta estava fora de sua sanidade mental, Grazziotin lembrou que, em depoimento na segunda-feira ao Ministério Público de São Paulo, a mulher apresentou várias provas documentais sobre as denúncias. A deputada defendeu que sejam iniciadas investigações para analisar o envolvimento de chefes do Executivo e parlamentares com empreiteiras que, em troca de favores políticos, pagariam suas contas pessoais.

Para o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) o presidente do Congresso Nacional provou um pouco do seu "veneno", ao ser denunciado pela Rede Globo de televisão no escândalo que envolve o prefeito de São Paulo Celso Pitta. Segundo Pellegrino, ACM sentiu na "pele" o que ele é acostumado a fazer de forma injusta contra seus adversários políticos na Bahia, onde controle quase todos os veículos de comunicação do Estado. "Lá ele destrata, calunia as pessoas e não permite direito de resposta", afirmou o deputado, afirmando que, no caso da Globo, o senador ainda pode se defender.

O deputado afirmou que as denúncias de Dona Nicéia possuem fundamento porque o instrumento usado pelo senador para pressionar e viabilizar os interesses da empreiteira OAS com o governo da cidade de São Paulo foi a CPI dos Precatórios. O deputado Waldir Pires (PT-BA) solicitou a instalação de uma Comissão de Ética no Senado para pedir a cassação do senador por falta de decoro parlamentar, em razão das ofensas dirigidas por ACM contra Nicéia Pitta. Ele enfatizou a forma “coronelista” com que o presidente do Senado conduz a política na Bahia, ressaltando a intimidação como a arma favorita do senador.

“As denúncias de Nicéia Pitta devem ser investigadas como exige a lei. Mas novamente ele (ACM) está usando de intimidação para evitar a apuração dos fatos”, afirmou. Para Waldir Pires, a situação exige a formação de uma Comissão de Ética que esclareça as denúncias, especialmente, o valor pago e ainda devido pela prefeitura de São Paulo à empresa AOS, de propriedade da família do senador ACM.



Voltar